Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 2 de Outubro, 2009

Não restam dúvidas a ninguém que a campanha eleitoral para as legislativas não seria a mesma sem as entrevistas dos Gato Fedorento. Elas contribuíram para desmistificar o fenómeno político na nossa sociedade, e a brincar com coisas sérias, conseguiram captar a atenção de quem anda desatento. É simultaneamente um exercício à capacidade de tolerância dos visados.

Está enraizado na nossa sociedade que a política é função só de alguns e vedado à maioria dos restantes, daí a baixa participação cívica e a enorme taxa de abstenção. Também é certo que o desadequado comportamento cívico e de missão quer dos candidatos e sobretudo dos eleitos afasta as pessoas das urnas.

Está vocacionado este blog  também para incentivar a participação das pessoas e passar a mensagem de que a política é acessível a todos. Se por vezes se torna desinteressante e enfadonha, há que torná-la mais esmiuçada, para melhor ser compreendida. Deixemos pois o lado sério e vamos também nós esmiuçar os nossos principais candidatos autárquicos. Se a campanha por aqui entrou também na era da blogosfera, não faria qualquer sentido desperdiçar tão precioso recurso.

Aqui vai… a entrevista inédita  pirateada à Rádio Regional do Centro.

RAM– Boa noite meus senhores e minhas senhoras. Iniciamos este ciclo de entrevistas aos dois principais candidatos que disputam a Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova.

Sou Ricardo Marujo da Ameixeira (RAM) e estou aqui hoje para entrevistar o Engº Jorge Bento (JB), actual Presidente da CM de Condeixa  (CM) e novamente candidato por mais quatro anos (ou não), vai para vinte (ou não)…

Boa noite Snr. Engenheiro, obrigado por ter vindo e contribuir assim para esclarecer o eleitorado. Começo já por lhe colocar a seguinte questão:

– Parece que não estava com pressa em divulgar o seu programa eleitoral, e  devido à pressão da oposição derivou naquela espécie de documento avulso. Em quem se inspirou? Em MFL e no slogan “Prometam só o que podem cumprir” ou na célebre sugestão do Assessor de Imprensa do PR, ”falem muito mas não digam nada? “ Ou nos dois?

JB – Não sei bem, mas acho que fui de facto influenciado pela sensatez da primeira e pela  prudência do segundo. Parafraseando MFL, “falar só a verdade“, também me influenciou, dado que por aqui não se vai passar mais  nada… De qualquer forma, para ganhar, nem preciso do dito documento. Já governo até às cegas e o eleitorado confia em mim o voto e os impostos para mais quatro anos. Tem sido sempre assim… É tiro e queda! Eles nem pensam…

RAM O senhor distribui  uma brochura, por sinal bem bonita, com o título “10 respostas…”, mas olhe que contou mal, são mais… O que o Sr. tem de facto são dez perguntas, todas em duplicado, tipo cada uma leva duas, certamente será para as pessoas não se esquecerem duma página para a outra, digo eu… Seriam  20 perguntas e com a pressa perderam metade entre a CM e a tipografia?

JB – Mas você é astuto! Sabe Ricardo, esta época de eleições é muito absorvente e nem tudo corre tão bem como aparenta. Foi uma falha do meu assessor NM que tem andado muito ocupado com os blogs, acabou por perder a sensibilidade nos dedos e provavelmente largou-os algures sem dar por isso, coitadito. O rapaz nem tem ido à cama!

(continua  se não for censurado)

Anúncios

Read Full Post »

Gente séria é gente em quem se pode confiar. Em política, legalizamos essa atitude de confiança com o nosso voto. Está subadjacente a  este “voto  de confiança”, um compromisso entre ambas as partes de que nenhum dos dois vai ser defraudado. Assim, ao eleitor que exerceu o seu dever cívico de votar, resta-lhe esperar que os eleitos cumpram a sua parte. Esperamos assim,  que  os eleitos sejam gente séria, gente que zele pelo nosso futuro, pela nossa segurança e pelo nosso bem-estar.

Concretamente em relação à reestruturação da estrada Barreira- Alto da Serra, vulgo Condeixa – Taveiro, questiona-se se o resultado final é obra de gente séria, nomeadamente no troço que atravessa as localidades da freguesia do Sebal.

Gente séria trata todos por igual, não discrimina.

Gente séria não retira o abrigo da paragem de autocarro e deixa 2 anos as crianças à intempérie,  ao frio e à chuva;

Gente séria cria condições de segurança para os peões, dotando as vias de bermas, passeios, passadeiras, etc.

Gente séria coloca sinalização adequada e de acordo com as condições da via a fim de salvaguardar a segurança dos residentes.

Gente séria limita a velocidade máxima colocando semáforos.

Gente séria minimiza ou remedeia e quando não pode resolver preocupa-se e dialoga.

Gente séria não abandona. Gente séria é humilde, acompanha, apoia  e é solidária com as populações contribuintes que sustentam os cofres que lhes permitem inaugurar as obras.

Concluímos então, que ao não dotarem as vias de condições de segurança, negam-nos aquilo que é nosso por direito. Se  por exemplo, não colocarem a sinalização adequada  e similar à que existe nas restantes localidades do concelho – semáforos, em idênticas circunstâncias, estão a discriminar. Porque será?

Virem com parangonas anunciar urbanizações, mais zona industrial, e mais umas quantas obras megalómanas é fácil. Difícil é criar as acessibilidades. As pessoas não se deslocam de avião, comboio, barco, metro ou TGV. Deslocam-se em veículos automóvel para os quais falta estrada.  Resulta desta falta despacharem-se as pessoas por onde der e por onde calha, nem que para isso se sacrifique a segurança dos residentes.

Pois é, tanta gente a circular em estradas de há cinquenta anos…

E que tal uma circular externa ou variantes a estes lugares, por esses pinhais fora?

Se esta ideia lhe mereceu o esboço de um sorriso, lembre-se que se é daqueles que utiliza este trajecto para viajar até Coimbra, quantas vezes de regresso, pela via rápida de Taveiro,  não  lhe terá já assomado ao pensamento ” e se isto fosse assim até Condeixa?” Isso é que era assunto, melhor que um estádio… Sempre serviria a mais gente, que o que quer é ver os problemas  do quotidiano resolvidos.

Post Scriptum:

Já falei na estrada de Condeixa-Taveiro, que além do trânsito que se desvia da caótica IC2, apanha com o trânsito de pesados para o Mercado Abastecedor, Zona Industrial de Taveiro e Aterro Sanitário e que se prolonga pela noite adiante; ao fim de semana também não há descanso com a romaria para o Retail Parque. Com idênticos problemas de trânsito se defronta quem mora no Casal da Estrada com o trânsito para a Zona Industrial, a Venda da Luisa, o Sebal, Belide e ainda a Anobra, em que uma rua pacata que atravessa a povoação serve de vazadouro do trânsito das povoações vizinhas. Também os Alqueves,  serve de pista de corridas para muito automobilista que circula entre Vila Pouca e a estrada de Taveiro e vice-versa – esta rua mal dá para um sentido!

Igualmente nos Palhagões há queixas quanto à segurança rodoviária, nomeadamente excesso de velocidade.

Read Full Post »